Quinta-feira, 26 de Novembro de 2009

Governo revolucionário garante prioridade absoluta na assistência a crianças hospitalizadas

Os centros hospitalares que conformam o Sistema Público Nacional de Saúde outorgam garantia absoluta de cuidados humanistas e contínuo do direito das crianças que estejam hospitalizadas, assegurou nesta segunda-feira a vice-ministra de Gestão Social do Ministério de Estado para Assuntos da Mulher e Igualdade de Género, Luisa Rodríguez.

 


Durante uma visita à área pediátrica do hospital Miguel Pérez Carrenho, Rodríguez considerou que “os grandes avanços tecnológicos que se têm vindo a implementar para melhorar a assistência médica e um corpo médico com muito ânimo, conformam a equipa necessária para garantir qualidade em saúde em todas as áreas e serviços”.

Destacou que na área pediátrica é fundamental o esforço do Estado em habilitar espaços para permitir a companhia dos pais -principalmente da mãe- às crianças que requerem tempo de hospitalização.

Nesse sentido, expressou: “Antigamente as crianças hospitalizadas permaneciam sozinhas dentro das unidades de cuidados médicos, mas agora são atendidas com prioridade absoluta e portanto as suas mães permanecem ao seu lado. Isso é sumamente importante e está num enquadramento de visão de garantia de direitos que oferece a nossa Constituição”.



Noutro aspecto, a vice-ministra considerou que o permanente processo de formação de recursos humano evidencia um Estado que garante saúde, segurança social, qualidade de vida e felicidade.

“O povo da Venezuela pode estar seguro indo a estes centros de saúde públicos que aqui receberá a melhor assistência porque o Sistema Público Nacional de Saúde o garante”, enfatizou Rodríguez.

Por seu lado, a chefe de serviço de pediatria, Ostojic Yagoda, considerou que o hospital Pérez Carrenho oferece melhor qualidade em serviço pediátrico que o que é fornecido no serviço privado.

'Respeitante à emergência pediátrica, a área de cuidados intermédios neonatais, de terapia intensiva neonatal, creio que estamos muito melhor e não temos nada que invejar às clínicas. (...) Para além disso, o nosso serviço não é um negócio mas sim uma garantia do direito à saúde', disse Yagoda.

O hospital Miguel Pérez Carrenho conta com 83 camas de hospitalização pediátrica, 14 de terapia intensiva neonatal, oito lugares de cuidados intensivos, 24 camas para cuidados intermédios e 12 espaços de emergência pediátrica.

No quarto piso, dispõe de duas unidades de cuidados intermédios neonatais, de 12 berços de recém-nascidos cada um, para pacientes com problemas metabólicos ou de tensão.

Entre as obras que se executaram no hospital, destaca uma nova área de cuidados obstétricos, assim como oito lugares de cuidados intermédios de prematuros, os quais se prevê sejam inaugurados durante os próximos dias.

 

 

Retirado de ABN.

Temas:
publicado por Alexandre Leite às 12:00
link do post | comentar | favorito
|

Informação Alternativa



Subscrever feeds

Sigam-nos no Facebook

Objectivos do Blogue

1) Apoiar a Revolução Venezuelana
2) Promover o carácter socialista da revolução
3) Combater a desinformação dos meios de comunicação capitalistas

Comentários recentes

A campanha Tirem As Mãos Da Venezuela voltou a est...
nice very thanks ver isto é bastant mt bom.. esse ...
A propósito da Venezuela, tivemos de fazer um tack...
É uma vergonha...Em Évora existe um call-center qu...
Este novo look é um espetáculo!
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em...
É assim dessa forma enérgica e sem papas na língua...

Pesquisar neste blog

 

Temas

todas as tags

Ligações

participar

participe neste blog

Venezuela:

Área Total - 916.445 km²
(quase 10 vezes a área de Portugal)

População - cerca de 28 milhões
(quase 3 vezes Portugal)

PIB per capita -11.388 dólares (2008)
(em Portugal é de 22000 dólares)

Inflação: 25,1% (acumulada 2009)

Taxa de Desemprego:
6,6% (acumulado 2009)
7,5% (Nov2009)
8,1% (Out2009)
8,4% (Set2009)
8% (Ago2009)
8,5% (Jul2009)


Salário Mínimo:
1200 bolívares (206 / 461 euros) - (Jan2010)
967,50 Bolívares (313 Euros) - (Dez2009)


Índice de Pobreza: 24% (55% em 2003)
Índice de Pobreza Extrema: 7% (25% em 2003)


Mortalidade Infantil: 13,7 por cada 1.000 nascimentos (em 1998 era 26)

Esperança média de vida - 74 anos (72 em 1998)