Domingo, 1 de Agosto de 2010

Revelações alarmantes sobre crimes dos EUA no Afeganistão

28 de Julho de 2010

A revelação de novos e graves crimes dos EUA no Afeganistão instalou o pânico na Casa Branca e no Pentágono.

A publicação pela Wikileaks – uma organização com sede na Suécia – de mais de 92 000 documentos militares secretos dos EUA – e a divulgação parcial dos mais importantes pelo Guardian, pelo The New York Times e pela revista alemã Der Spiegel deu ao escândalo proporções mundiais.

Os documentos do Exercito reconhecem que milhares de civis afegãos foram mortos desde a invasão do país em 2001 em acções irresponsáveis das forças armas dos EUA. Além das matanças provocadas pelos bombardeamentos dos drones – aviões sem piloto – o comando da US Army planeou o assassínio de dirigentes rebeldes por comandos especiais. A ordem era abatê-los imediatamente, para evitar a sua captura e futuros julgamentos.

Os textos divulgados informam que os rebeldes dispõem de mísseis Terra-Ar Stinger, armamento adquirido a antigos aliados de Washington, e que os têm utilizado para derrubar helicópteros norte-americanos.

Uma informação que incomodou particularmente a Casa Branca foi a relativa à existência de cumplicidades entre os serviços secretos paquistaneses e dirigentes da rebelião.

Porta vozes do Presidente Obama e do Pentágono apressaram-se a qualificar de «irresponsável» a publicação dos documentes, afirmando que envolvem uma «ameaça à segurança dos EUA».

Num comentário ambíguo, The New York Times, lembra que a guerra no Afeganistão, em nove anos, já custou aos EUA 300.000 milhões de dólares, mas admite que a «nova estratégia» de Obama para o país continuará a ser aplicada embora a situação militar se deteriore a cada mês.

As reacções à publicação dos documentos secretos nos países da União Europeia e no Canadá foram imediatas. Os governos do Canadá, da França, da Alemanha e do Reino Unido temem a intensificação das campanhas para a retirada das suas tropas, atoladas numa guerra criminosa.

Esta «bomba política» explode semanas após a demissão do general Stanley McChrystal, o comandante supremo no Afeganistão que, numa entrevista, criticara a política do Presidente Obama para a Região.

Entretanto, cresce nos EUA a oposição à guerra afegã. Depoimentos de soldados da US Army, acessíveis pela Internet, descrevem crimes monstruosos por eles testemunhados e esboçam um panorama medonho da situação criada no país pela ocupação norte-americana e das tropas da NATO.


OS EDITORES DE ODIARIO.INFO

publicado por Rojo às 20:31
link do post | comentar | favorito
|

Informação Alternativa



Subscrever feeds

Sigam-nos no Facebook

Objectivos do Blogue

1) Apoiar a Revolução Venezuelana
2) Promover o carácter socialista da revolução
3) Combater a desinformação dos meios de comunicação capitalistas

Comentários recentes

A campanha Tirem As Mãos Da Venezuela voltou a est...
nice very thanks ver isto é bastant mt bom.. esse ...
A propósito da Venezuela, tivemos de fazer um tack...
É uma vergonha...Em Évora existe um call-center qu...
Este novo look é um espetáculo!
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em...
É assim dessa forma enérgica e sem papas na língua...

Pesquisar neste blog

 

Temas

todas as tags

Ligações

participar

participe neste blog

Venezuela:

Área Total - 916.445 km²
(quase 10 vezes a área de Portugal)

População - cerca de 28 milhões
(quase 3 vezes Portugal)

PIB per capita -11.388 dólares (2008)
(em Portugal é de 22000 dólares)

Inflação: 25,1% (acumulada 2009)

Taxa de Desemprego:
6,6% (acumulado 2009)
7,5% (Nov2009)
8,1% (Out2009)
8,4% (Set2009)
8% (Ago2009)
8,5% (Jul2009)


Salário Mínimo:
1200 bolívares (206 / 461 euros) - (Jan2010)
967,50 Bolívares (313 Euros) - (Dez2009)


Índice de Pobreza: 24% (55% em 2003)
Índice de Pobreza Extrema: 7% (25% em 2003)


Mortalidade Infantil: 13,7 por cada 1.000 nascimentos (em 1998 era 26)

Esperança média de vida - 74 anos (72 em 1998)