Terça-feira, 31 de Agosto de 2010

Embaixador da Venezuela em Portugal repudia campanha mediática anti-Venezuela

O embaixador venezuelano em Portugal, Lucas Rincón, repudiou a campanha mediática internacional contra a Venezuela e o Governo Bolivariano impulsionada por alguns meios de comunicação de Portugal.

Rincón questionou a publicação no "Diário de Notícias" de Portugal de um artigo que afirmava que “De meia em meia hora é cometido um homicídio na Venezuela”, motivo pelo qual exigiu um direito de resposta ao director desse jornal, João Marcelino.

“Permita-me sublinhar que esta comunicação, não apenas constitui uma carta de protesto, mas também uma solicitação do direito de resposta. Assim sendo, em conformidade com o contemplado na legislação portuguesa, espero que esta carta seja publicada no seu jornal para o devido esclarecimento da opinão pública”, destacou.

Embaixador Rincon Venezuela Portugal
O embaixador Rincón alertou que as afirmações disse diário “pretendem tergiversar a realidade venezuelana e produzir uma pornografia jornalística, produto da decadência em que caíram muitos meios de comunicação social, os quais fazem uso de materiais sensacionalistas, sem contraste e nenhum tipo de investigação”.

Acrescentou que o objectivo desses meios de comunicação é gerar um impacto propagandístico para desprestigiar e formar parte activa da conspiração mediática internacional.

“Não apenas é uma informação que se afasta da verdade, como para além disso se baseia noutro meio de comunicação social, o jornal espanhol "El País", e contribui com a mentira e tenta ocultar as políticas do governo venezuelano em matéria de segurança nacional. É contraditório que tais informações insistam em ter cifras oficiais, quando o Governo não publicou estatísticas sobre o tema”, expressa o documento.

Rincón ressaltou que o artigo não refere nenhuma das acções para combater a insegurança empreendidas pelo Governo Bolivariano, como a criação da Universidade Nacional Experimental da Segurança (UNES); a nova Polícia Nacional Bolivariana (PNB) e os dispositivos de segurança nas zonas populares do país.

“Também não é feita alusão à criação de mais de 3.500 escolas básicas bolivarianas e mais de 1.500.000 novas vagas universitárias, através de aldeias universitárias, a fim de dar uma solução estrutural a esta matéria, tema que deveria ser tratado e publicado com mais frequência pelos meios de comunicação e não contribuir para a formação de uma matriz de opinião negativa e pouco objectiva sobre a Venezuela com informações falsas”, destacou.

 

O Embaixador pediu à direcção do "Diário de Notícias" para rever a realidade venezuelana e estudar as políticas de segurança que se estão a implementar no país e manifestou a sua inteira disposição para qualquer esclarecimento no que concerne à Venezuela e ao seu Governo.

 

 

 

Texto retirado de Aporrea.

 

"Notícia" do Diário de Notícias.

Comentário da direcção do DN.

publicado por Alexandre Leite às 18:49
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Jovem Atento a 9 de Outubro de 2010 às 13:12
É assim dessa forma enérgica e sem papas na língua que se defende a Revolução. Contra as mentiras mediáticas, lutar, lutar!

Comentar post

Informação Alternativa



Subscrever feeds

Sigam-nos no Facebook

Objectivos do Blogue

1) Apoiar a Revolução Venezuelana
2) Promover o carácter socialista da revolução
3) Combater a desinformação dos meios de comunicação capitalistas

Comentários recentes

A campanha Tirem As Mãos Da Venezuela voltou a est...
nice very thanks ver isto é bastant mt bom.. esse ...
A propósito da Venezuela, tivemos de fazer um tack...
É uma vergonha...Em Évora existe um call-center qu...
Este novo look é um espetáculo!
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em...
É assim dessa forma enérgica e sem papas na língua...

Pesquisar neste blog

 

Temas

todas as tags

Ligações

participar

participe neste blog

Venezuela:

Área Total - 916.445 km²
(quase 10 vezes a área de Portugal)

População - cerca de 28 milhões
(quase 3 vezes Portugal)

PIB per capita -11.388 dólares (2008)
(em Portugal é de 22000 dólares)

Inflação: 25,1% (acumulada 2009)

Taxa de Desemprego:
6,6% (acumulado 2009)
7,5% (Nov2009)
8,1% (Out2009)
8,4% (Set2009)
8% (Ago2009)
8,5% (Jul2009)


Salário Mínimo:
1200 bolívares (206 / 461 euros) - (Jan2010)
967,50 Bolívares (313 Euros) - (Dez2009)


Índice de Pobreza: 24% (55% em 2003)
Índice de Pobreza Extrema: 7% (25% em 2003)


Mortalidade Infantil: 13,7 por cada 1.000 nascimentos (em 1998 era 26)

Esperança média de vida - 74 anos (72 em 1998)