Sábado, 14 de Fevereiro de 2009

Eurodeputado expulso da Venezuela

A presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Tibisay Lucena, solicitou nesta sexta-feira à Chancelaria venezuelana e ao Executivo Nacional a expulsão do país do eurodeputado espanhol Luis Herrero, que iria cumprir funções como acompanhante internacional durante o processo eleitoral do próximo domingo, 15 de Fevereiro.

Em declarações feitas na sala de imprensa do CNE, Lucena afirmou que Herrero incumpriu a normativa eleitoral ao julgar a actuação do máximo organismo eleitoral.

Lucena recordou que, em declarações emitidas na manhã de sexta-feira, Herrero fez comentários contra a dignidade do Poder Eleitoral e atentou contra a tranquilidade que rege o processo eleitoral de 15 de Fevereiro.

Nesse sentido, o CNE decidiu, de forma irrefutável- não emitir credencial como observador político ao eurodeputado espanhol, que tinha realizado esse pedido durante a tarde dessa sexta-feira.

A presidente da entidade máxima eleitoral argumentou: “Não cabe aos observadores políticos nem aos acompanhantes internacionais julgar actuações do Poder Eleitoral e do processo eleitoral que está em curso. Isso está claramente estabelecido na normativa que rege este processo eleitoral e na normativa que rege as actuações tanto de acompanhantes internacionais como de observadores políticos”.

A esse respeito, disse que todos os acompanhantes e observadores políticos estão sujeitos ao fiel cumprimento da normativa eleitoral.

Por tal motivo, o CNE exortou ao Executivo Nacional que desse cumprimento ao pedido do órgão eleitoral, de convidar o eurodeputado Luis Herrero a retirar-se do país.

“Esta decisão do Poder Eleitoral tem como finalidade preservar o clima de paz e de harmonia que prevaleceu neste processo eleitoral, em face das eleições de 15 de Fevereiro”, afirmou Lucena.

O eurodeputado espanhol, que é membro do Partido Popular Espanhol - o qual possui vínculos com os partidos venezuelanos Copei PP, Primero Justicia e Un Nuevo Tiempo - criticou fortemente a decisão do CNE de prolongar o acto eleitoral até às 6:00 da tarde.

Durante as suas declarações afirmou: “Temo que possa ser utilizada essa hora nocturna para fazer algum tipo de manobra que não seja legal, que não seja democrática”. Também comentou que se trata de “um referendo que Chávez já perdeu há um ano atrás” e convido a população a “votar em liberdade e que jamais votem deixando-se levar pelo medo que premeditadamente ‘um ditador’ está a tentar impor”.

 

Retirado de ABN.

publicado por Alexandre Leite às 14:28
link do post | comentar | favorito
|

Informação Alternativa



Subscrever feeds

Sigam-nos no Facebook

Objectivos do Blogue

1) Apoiar a Revolução Venezuelana
2) Promover o carácter socialista da revolução
3) Combater a desinformação dos meios de comunicação capitalistas

Comentários recentes

A campanha Tirem As Mãos Da Venezuela voltou a est...
nice very thanks ver isto é bastant mt bom.. esse ...
A propósito da Venezuela, tivemos de fazer um tack...
É uma vergonha...Em Évora existe um call-center qu...
Este novo look é um espetáculo!
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em...
É assim dessa forma enérgica e sem papas na língua...

Pesquisar neste blog

 

Temas

todas as tags

Ligações

participar

participe neste blog

Venezuela:

Área Total - 916.445 km²
(quase 10 vezes a área de Portugal)

População - cerca de 28 milhões
(quase 3 vezes Portugal)

PIB per capita -11.388 dólares (2008)
(em Portugal é de 22000 dólares)

Inflação: 25,1% (acumulada 2009)

Taxa de Desemprego:
6,6% (acumulado 2009)
7,5% (Nov2009)
8,1% (Out2009)
8,4% (Set2009)
8% (Ago2009)
8,5% (Jul2009)


Salário Mínimo:
1200 bolívares (206 / 461 euros) - (Jan2010)
967,50 Bolívares (313 Euros) - (Dez2009)


Índice de Pobreza: 24% (55% em 2003)
Índice de Pobreza Extrema: 7% (25% em 2003)


Mortalidade Infantil: 13,7 por cada 1.000 nascimentos (em 1998 era 26)

Esperança média de vida - 74 anos (72 em 1998)