Sexta-feira, 10 de Julho de 2009

Chávez abre 'Alô Presidente Teórico' com apelo ao socialismo

13 de Junho de 2009

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, pediu a seus ministros para acelerar a formação de comunas, figura “fundamental para a construção do socialismo”. “Chegou o momento do salto à comuna, da organização superior”, defendeu Chávez, durante a primeira transmissão do novo Alô Presidente Teórico, o qual decidiu exibir para “fortalecer o estudo da teoria revolucionária”.

O presidente centrou o primeiro programa no tema da comuna. “Faço um apelo a todos os ministérios para que trabalhemos de forma coordenada” na promoção e criação das “comunas”, que “deve ser o espaço sobre o qual vamos parir o socialismo”, disse Chávez.

Para ele, as comunas são uma parte fundamental de seu projeto para “transferir poder ao povo”, que inclui “a transformação do espaço” geográfico, “do modelo socialista no econômico” com a aparição da “propriedade social, da produção destinada a satisfazer as necessidades humanas e não para criar mercadorias”.

Ao longo do primeiro programa, Chávez leu textos de autores chineses e russos que explicam conceitos dessa figura, com base nos quais reiterou que só o socialismo garante a igualdade e a justiça para as maiorias.

Chávez elogiou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, por insistir em sua intenção de “lutar por um mundo sem bombas atômicas”, e reiterou o apoio de seu Governo ao uso pacífico dessa energia. “Obama voltou a dizer no Cairo há poucos dias (…) que lutaria por um mundo sem bombas atômicas. Isso é preciso reconhecer (…) É preciso difundir essa ideia.”

Ele disse que, na visita à capital do Egito, Obama “deu um discurso extraordinário”, e embora estivesse “cheio de contradições, como diz Fidel Castro, escutá-lo dizer o que disse não é pouca coisa, sobretudo comparado com seu antecessor, George W. Bush”.

Chávez reiterou que seu governo “não condena a Coreia do Norte” — um país que “declarou que está construindo uma bomba atômica”, porque então teria de “condenar a maior potência mundial, os Estados Unidos, e os demais países do Primeiro Mundo que têm essas armas”. “Não queremos bombas atômicas”, afirmou o líder da Revolução Bolivariana.  “Queremos uma proibição — fim às bombas atômicas no mundo. Isso é um horror, pode acabar com toda a vida no planeta.”

Da Redação, com informações do blog O Outro Lado da Notícia
 

Fonte: Diário Vermelho

 

Notícias relacionadas:

Participación en la gestión y acceso a la información administrativa solicitaran trabajadores portuarios en próxima convención colectiva

publicado por Rojo às 17:25
link do post | comentar | favorito
|

Informação Alternativa



Subscrever feeds

Sigam-nos no Facebook

Objectivos do Blogue

1) Apoiar a Revolução Venezuelana
2) Promover o carácter socialista da revolução
3) Combater a desinformação dos meios de comunicação capitalistas

Comentários recentes

A campanha Tirem As Mãos Da Venezuela voltou a est...
nice very thanks ver isto é bastant mt bom.. esse ...
A propósito da Venezuela, tivemos de fazer um tack...
É uma vergonha...Em Évora existe um call-center qu...
Este novo look é um espetáculo!
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em...
É assim dessa forma enérgica e sem papas na língua...

Pesquisar neste blog

 

Temas

todas as tags

Ligações

participar

participe neste blog

Venezuela:

Área Total - 916.445 km²
(quase 10 vezes a área de Portugal)

População - cerca de 28 milhões
(quase 3 vezes Portugal)

PIB per capita -11.388 dólares (2008)
(em Portugal é de 22000 dólares)

Inflação: 25,1% (acumulada 2009)

Taxa de Desemprego:
6,6% (acumulado 2009)
7,5% (Nov2009)
8,1% (Out2009)
8,4% (Set2009)
8% (Ago2009)
8,5% (Jul2009)


Salário Mínimo:
1200 bolívares (206 / 461 euros) - (Jan2010)
967,50 Bolívares (313 Euros) - (Dez2009)


Índice de Pobreza: 24% (55% em 2003)
Índice de Pobreza Extrema: 7% (25% em 2003)


Mortalidade Infantil: 13,7 por cada 1.000 nascimentos (em 1998 era 26)

Esperança média de vida - 74 anos (72 em 1998)