Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009

O longo "ajustamento económico": quão mau será? – Colapso nos gastos do consumidor

por Mike Whitney

A economia dos EUA está no princípio de um período prolongado de ajustamento. O declínio agudo na actividade dos negócios, o qual principiou no Verão de 2007, foi ligeiramente moderado, mas há poucas indicações de que o crescimento retornará aos níveis anteriores à crise. As acções comportaram-se bem nos últimos seis meses, superando as expectativas da maior parte dos analistas, mas a fraqueza na economia subjacente continuará a prejudicar a procura reduzindo qualquer possibilidade de uma retomada forte. As bancarrotas, os não pagamentos de dívidas e os incumprimentos estão a subir, o que pressiona em baixa os preços dos activos e aumenta o desemprego. Como o desemprego sobe, as dívidas acumulam-se, os gastos do consumidor arrefecem e os negócios são forçados a reduzirem-se ainda mais. Isto é a espiral deflacionaria que o presidente do Fed, Ben Bernanke, pretendia evitar. Oscilações nas acções e uma impressionante campanha de relações públicas acerca de "brotos verdes" ajudaram a melhorar a confiança do consumidor, mas os dados duros entram em conflito com a narrativa optimista repetida nos media financeiros. Para os milhões de americanos que não se qualificam para salvamentos do governo, as coisas nunca estiveram piores.

Kevin Harrington, administrador geral da Clarium Capital Management LLC, resumiu a actual situação económica numa entrevista à Bloomberg News: "Se temos realmente uma recuperação, ela não é sustentável. Isto mais provavelmente é uma recessão com rampa de esqui, com estímulos a curto prazo para criar um inchaço que acabará finalmente por levar a um declínio posterior mais precipitado".

Reflectindo sobre a relutância do Fed em forçar os bancos a relatarem as suas perdas em activos ilíquidos ao seu valor real, Harrington acrescentou: "Não consertámos o problema. Apenas desacelerámos o seu reconhecimento oficial".

 

Continuar a ler em Resistir.info

 

O original encontra-se em http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=15060

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .

publicado por Rojo às 22:15
link do post | comentar | favorito
|

Informação Alternativa



Subscrever feeds

Sigam-nos no Facebook

Objectivos do Blogue

1) Apoiar a Revolução Venezuelana
2) Promover o carácter socialista da revolução
3) Combater a desinformação dos meios de comunicação capitalistas

Comentários recentes

A campanha Tirem As Mãos Da Venezuela voltou a est...
nice very thanks ver isto é bastant mt bom.. esse ...
A propósito da Venezuela, tivemos de fazer um tack...
É uma vergonha...Em Évora existe um call-center qu...
Este novo look é um espetáculo!
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em...
É assim dessa forma enérgica e sem papas na língua...

Pesquisar neste blog

 

Temas

todas as tags

Ligações

participar

participe neste blog

Venezuela:

Área Total - 916.445 km²
(quase 10 vezes a área de Portugal)

População - cerca de 28 milhões
(quase 3 vezes Portugal)

PIB per capita -11.388 dólares (2008)
(em Portugal é de 22000 dólares)

Inflação: 25,1% (acumulada 2009)

Taxa de Desemprego:
6,6% (acumulado 2009)
7,5% (Nov2009)
8,1% (Out2009)
8,4% (Set2009)
8% (Ago2009)
8,5% (Jul2009)


Salário Mínimo:
1200 bolívares (206 / 461 euros) - (Jan2010)
967,50 Bolívares (313 Euros) - (Dez2009)


Índice de Pobreza: 24% (55% em 2003)
Índice de Pobreza Extrema: 7% (25% em 2003)


Mortalidade Infantil: 13,7 por cada 1.000 nascimentos (em 1998 era 26)

Esperança média de vida - 74 anos (72 em 1998)